Logo Blog Mamãe Vai Fazer

Casa de ferreiro…

20130403-084528.jpg

Bem gente, depois de falar de muita coisa só na minha prática, ou seja, sem embasamento cientifico comprovado no assunto, chegou a hora de falar sobre algo que eu estudei bastante: os dentinhos das gestantes e de nossos pimpolhos.
De antemão digo que, apesar de ser dentista, sofro do mesmo mal que todo ser humano: preguiça de escovar dente, do fio dental (esse então, depois que resolvi colocar aparelho, prefiro a morte!), e tensão na cadeira dos colegas. Então, posso falar pelos 2 lados da coisa…
Primeiramente, vamos desmistificar uma coisa com relação a gestação:
– Não, fia, o bebê não vai puxar o cálcio dos seus dentes…
Todo dentista já ouviu essa história (eu perdi a conta já…), que a criatura tinha os dentes ótimos e depois de engravidar ficou “daquele jeito”, porque o bebê puxa o cálcio dos dentes. Vamos lá: antes de tirar o cálcio dos seus dentes, você perderia primeiro o cálcio dos ossos, e esse tipo de condição só acontece em algumas patologias (osteoporose grave, por exemplo), o que não é o caso de gravidez (que não é doença, tá?),
O que acontece, e agora fala a voz da experiência de mãe, é que a grávida fica mais cansada, mais preguiçosa, algumas passam a ter uma dieta mais cariogênica, e aí, querida, não tem cálcio que resista. Eu perdi a conta das vezes em que, grávida, chegava em casa do trabalho tão cansada que, fazia um sanduíche, ia comendo pro quarto e dormia na frente da TV com a boca sem escovar (confissões de uma porquinha…). Tem amigas minhas que dizem que acordavam no meio da noite pra comer, coisa que não faziam quando não estavam grávidas. Então gente, se depois do bebê a boca estiver um caco, não coloca a culpa no bichinho não porque a porquinha “é nóixxx”.
Agora vamos aos dentinhos dos pimpolhos…
Já existem estudos que relacionam que a dieta que a mãe teve na gestação e amamentação pode sim influenciar o paladar do bebê. Ou seja, se você costuma comer muito carbohidratos e gorduras, é bem capaz que seu filhote tenha um paladar parecido com o seu.
Outra coisa importante é o papel do aleitamento materno no desenvolvimento das arcadas dentárias. Mamar no peito, além de todos os benefícios para a saúde e defesa imunológica do bebê, vai desenvolver a musculatura e articulações do seu filho, evitando problemas mais tarde.
A cronologia de erupção dos dentinhos de leite varia muito. Aos 6 meses e meio alguns bebês já podem ter os incisivos inferiores apontando na boca. Maria Luiza, por exemplo, só foi ter dente aparecendo com uns 9 meses. Fato é que, com 2 anos e meio os dentinhos estarão todos lá.
Essa fase de dentinho nascendo é outra coisa que varia muito de bebê pra bebê. Alguns não sentem nada, e quando a mãe vê, tá lá o dente na boca. Outras ficam irritadiças e as mães relatam até febre baixa. O que ocorre, normalmente, é o seguinte: a criança fica irritada, não se alimenta nem dorme direito, levando a uma queda na imunidade, dando margem a viroses oportunistas (daí a febre!).
E faz o que, Dra? O ideal é dar coisas mais geladinhas; evite sopas, comidas muito quentes (aqueles mordedores de geladeira são uma benção!). Chazinho de camomila gelado ajuda duplamente, pelo gelo e pela ação calmante. E se tiver febre, investigar antes de medicar.
Ah! Outra coisa… Aquelas pomadinhas pra alivio dos dentinhos, melhor evitar porque contêm anestésicos, e o bebê pode engolir…
Enfim, meninas, prometo falar em outro post sobre escovação e higiene destes dentinhos, traumatismos, tem muito a se dizer, mas se não fica chato e gasto todo meu H de uma vez, né?
Um beijo pra minha amiga e colega, Dra Adriana Ornelas, odontopediatra que ajudou no post.
E beijos mil pra todas, Lika.

20130403-084739.jpg

Nuvém de Tags
alegria amamentação Amizade amor avião babá Beleza birra blog Brasil brincadeiras Cabelo campanha cesárea chupeta cinema criança culpa cultura dica dicas emoção escola Família farra Filhos Filme fim de semana gravidez infância Irmãos Lazer Libido livros maquiagem música parto passeio pele programação saudade saúde solidariedade Sono teatro