Logo Blog Mamãe Vai Fazer

#DePequeninoSeTorceOPepino: Comer à mesa

20131123-095239.jpg

Fim de semana passado, fomos eu, Neto e Malu a um hotel fazenda com um casal querido e seu filhote 6 meses mais velho para aproveitar o feriadão.
Acho muito legal a convivência de Malu com crianças de idades diversas, pois dá pra ver as diferenças de evolução da idade bem nítidas desse período, onde às vezes 1 mês entre uma e outra é um salto gigante na evolução tanto da coordenação motora, quanto do falar e se relacionar, além, é claro, de conhecer um pouco o temperamento de cada um.

Mais gostoso ainda é a troca de idéias com minhas muitas amigas mães, algumas de primeira viagem, como eu, outras com uma laaaarga experiência no assunto, mas tenho muita alegria quando nesses bate-papos encontramos as causas e razões para as nossas dificuldades, desde as mais simples, até àquelas mais cabeludas.

Hoje vou falar sobre uma dificuldade da minha amiga querida, que contou que nunca consegue, quando em um restaurante com seu marido e seu filhote, comer tranquila com os três, pois seu pequeno não consegue sentar e comer o seu prato, tem que ficar andando pelo restaurante, conhecendo tudo.

Malu senta-se a mesa e se distrai comendo o que tem no seu prato. Às vezes com as mãos, às vezes com seu garfinho, mas fato é que, na maioria das vezes, conseguimos comer com “uma certa” tranquilidade (na medida do que é tranquilo para uma criança de 2 anos).
Daí, começamos a nós perguntar porque seu pimpolho era tão inquieto durante as refeições… Comentei que, desde que Malu completou seu quadro das principais vacinas, levamos ela pra almoçar conosco em restaurante. Primeiro ela ia deitadinha no seu bebê conforto, depois, quando já sentava, mas não comia as mesmas coisas que a gente, comia em casa e levávamos um brinquedinho pra ela ficar distraída enquanto comíamos. Já apelamos para filminhos no IPad (apenas em restaurantes), e quando ela começou a ter uma dieta mais livre, levávamos o garfinho e pratinho dela e ela ia comendo com a gente. Em casa tudo é mais fácil, né gente? Mas na rua, além de querermos mais tranquilidade, ficamos sempre pensando que podemos estar incomodando outras pessoas (pelo menos as mães e pais que têm noção). 😛

Tudo isso já havia sido tentado por minha amiga… E aí ficamos nos perguntando o porque de seu gatinho se dispersar tanto. Foi quando fiz uma pergunta chave: se os pais sentam-se à mesa todos os dias com ele. E a resposta, infelizmente, foi negativa. Papai e mamãe trabalham o dia inteiro, longe de casa, almoçando na rua, e seu filho come no seu cadeirão, fazendo suas refeições nesse local com sua babá. Diferente de Malu, que mesmo quando almoça mais cedo com a babá (chego em casa quase 13hs), quando chegamos, seu pratinho é colocado em seu lugar da mesa, e ela “come” de novo, junto com a gente.

A hora de comer é uma hora gostosa da família, damos risada, mesmo que seja rapidinno pela correria diária, é um momento pra estar todo mundo junto. Nem sempre dá, obviamente, mas quando dá, é assim que a gente faz. E temos sorte por poder conseguir fazer dessa forma. Poucas famílias conseguem…

Outra coisa legal que acho que ajuda muito é acostumar o bebê desde bem cedo a ser “independente” com a comida. Quando percebi que Malu já fazia o movimento de pinça com seus dedinhos polegar e indicador, tratei de colocar um prato com frutinhas cortadinhas pra ela ir começando a coordenação motora de levar a comida a boca. Os gringos chamam essa fase de “finger food” que é literalmente, comer com os dedos, e é um passo super importante pra comer com os talheres. Agora, tem que ter paciência, porque suja muito, não só o bebê, como tudo a sua volta, e se quem está perto ficar com nojinho, ou preguiça de limpar, vai desistir rapidinho.

Filho dá trabalho, meu povo! Mas pensa que, quanto mais trabalho no início, menos no final!
Me contem como foi com os filhotes de vocês!!!
Beijão, Lika.

20131123-095408.jpg

20131123-095422.jpg
Aqui rola de um todo!!! 😛

Nuvém de Tags
alegria amamentação Amizade amor avião babá Beleza birra blog Brasil brincadeiras Cabelo campanha cesárea chupeta cinema criança culpa cultura dica dicas emoção escola Família farra Filhos Filme fim de semana gravidez infância Irmãos Lazer Libido livros maquiagem música parto passeio pele programação saudade saúde solidariedade Sono teatro