Logo Blog Mamãe Vai Fazer

Hora de dormir

20130703-212935.jpg

Hoje, no trabalho, eu conversava com 2 mães e colegas que adoro, que tem pimpolhos na faixa de um aninho, e falavam da dificuldade da hora de dormir. O assunto pode ser bem controverso, pois tem gente que defende com unhas e dentes o direito de poder ninar seus bebês, afinal, passa tão rápido esse momento, né? Nada contra, apenas optei por fazer a minha Malu entender que teria hora pra dormir…
Por aqui, nunca houve a hora de ninar… Confesso que também acho gostoso embalar aquele bebezinho pequenininho no colo, e ficar balançando ele mesmo depois que já dormiu… Mas movida por um ímpeto de praticidade, e seguindo um dos conselhos da Encantadora de Bebês que li, conforme já contei pra vocês aqui preferi, seguir a risca a máxima de começar como eu gostaria de terminar, ou seja, ninar um bebezinho de 5kg é mole… Mas ninar minha pequena de 12kg hoje em dia… Haja braço… Enfim, desde que Malu começou a dormir a noite toda, procurei fazer uma rotina para ela na hora de dormir. No começo eu dava o banho por volta de 18h, colocava um dos discos de música para bebês (Baby Mozart, Baby Beatles, Baby U2 eram meus preferidos), e lá para as 19h dava a ultima mamadeira, colocava no berço com a TV com algum desenho pra ela assistir, e ela dormia sozinha vendo o programa. Aí eu li que não era legal acostumar criança a dormir vendo TV, e cortei logo essa rotina, estabelecendo um horário fixo pela manhã e a tarde para televisão (podemos falar sobre isso outro dia!).
Hoje em dia, prestes a completar 2 anos, a rotina de Malu é assim: janta por volta de 17:30h, e depois toma banho e já coloca o pijaminha. Eu chego umas 18h, a babá vai embora, e nossa hora de brincar juntas vai até as 20h. Aí, de 19:30h em diante, já estabeleço brincadeiras mais tranqüilas, joguinhos de montar, massinha, desenhar… Às 20h eu vou com ela pro quarto, ela pega o bendito bubu (chupeta- estamos trabalhando no sentido de eliminar essa etapa, mas é difícil…), troco a fraldinha noturna, vamos juntas pra cozinha preparar o gagau (leitinho da noite). Voltamos pro quarto, onde dou o gagau no colinho, conversando bem baixinho com ela. Terminando, escovo os dentinhos, ali mesmo no colo, e rezamos juntas a oração infantil que minha vovó Diva rezava comigo. Depois do”em nome do Pai, Filho, Espirito Santo, ela mesma responde Amém, e aí coloco ela no berço. Dou boa noite e seu bichinho de pelúcia e ela vira pro lado e dorme.
Todo dia do mesmo jeito.
Lógico que para chegar aqui, foi uma rotina estabelecida com o tempo. Alguns dias houve choro. Ainda há em algumas noites, onde ela acorda de madrugada e quer vir pro nosso quarto. Mas a menos que seja um choro de pesadelo, ou que algo está errado (mãe sabe quando filho quer dengo…), deixamos passar uns 3 a 5 minutinhos. E digo, não passa disso e ela deita de novo e dorme.
Algumas técnicas que uso e usei: deixo sempre uma meia luz, pra que, se ela acordar, consiga se localizar no seu cantinho; na época que ela acordava pedindo a chupeta, deixava umas 2 espalhadas pelo berço, e ela mesmo achava e voltava a dormir; no banho da noite usava aquele sabonete Hora do Soninho, assim, sempre sentindo o mesmo cheirinho, achava que ela já podia condicionar à hora de dormir.
Enfim, mamães, isso tudo tem dado certo pra mim, mas lógico que cada criança reage diferente. Quero muito saber como vocês fazem. Meu próximo dilema é mudar Malu para a cama. Já tentamos, mas o berço tem a vantagem de segurar a criança no lugar que a gente quer. Nos dias que Malu dormiu na cama dela, acabou sempre vindo parar na nossa…
Me digam como vocês fizeram nessa fase!
Beijocas, Lika.

Nuvém de Tags
alegria amamentação Amizade amor avião babá Beleza birra blog Brasil brincadeiras Cabelo campanha cesárea chupeta cinema criança culpa cultura dica dicas emoção escola Família farra Filhos Filme fim de semana gravidez infância Irmãos Lazer Libido livros maquiagem música parto passeio pele programação saudade saúde solidariedade Sono teatro