Logo Blog Mamãe Vai Fazer

Inseguranças de mãe

20130429-102632.jpg

Que mãe erra tentando acertar, todo mundo sabe. E que, sempre que alguém tem um problema psicológico na vida adulta, vão investigar a relação da criatura com a mãe, Freud explica.
Por estas e outras razões é que a vida de mãe é cheia de angustia e insegurança. Insegurança essa que começa ainda com o bebê na barriga. Dúvidas se vamos conseguir dar conta de tanta coisa, das noites mal dormidas, do choro de fome, sono, dor…
Quando estamos com o recém nascido nos braços, temos duvidas se estamos amamentando correto, se o bebê arrotou, se tá com calor, com frio, se comeu bem…
Eu, particularmente, achei essa primeira fase muito mais light. Pra mim, fase difícil é quando o bebê vai mostrando sua personalidade. Deixo chorar no berço porque sei que é dengo? Dou as costas quando ele se jogar no chão do shopping? Brigo na frente de todo mundo com a malcriação no restaurante, mesmo sabendo que ela vai abrir o berreiro?
Dúvidas… Dúvidas… Dúvidas…
Eu, como toda mãe, odeio gente dando pitaco em como devo proceder com minha filha. Até quando escrevo alguma coisa aqui no blog, sempre coloco como a minha experiência, pois acho que o objetivo aqui é trocar, e não dizer: faça assim que dá certo. Mas pitaco fundamentado, de um autor bacana, ou de alguém que estudou pra falar, adoro ouvir/ler/aprender. Já falei nesse Post aqui que li muito grávida de Malu, e continuo lendo sempre…
Meu atual dilema (que sei que é errado, mea culpa total) é um erro que muita mãe cai, que é levar aquele pacotinho mais gostoso e cheiroso do mundo para sua cama. Gente, um fato: não há nada mais gostoso nesse mundo do que dormir abraçadinho com seu filho! E aí a pessoa se lasca!
Meu erro começou há 5 dias. Malu com uma tosse chata, acordou 3 da madruga com tosse, e eu, pra não ter que ir toda hora no quarto, levei ela pra nossa cama. Gente, bastaram 2 noites pra a pequena achar que era rotina. Essa noite, quase sem tosse já, acordou no mesmo horário, catou a chupeta, o paninho e o travesseiro, e quando olho na camera da babá eletrônica, estava de pé no berço toda pronta chamando: – Mamãe! Mamãe!
Neto foi lá, explicou que era tarde, hora de dormir… Não teve acordo… – Colo papai! Licença!!! Buááá!!!
Coração de pai partido 3 da madruga, e tá lá Malu na nossa cama de novo. Delicinha a parte, sei que vou ter que cortar e sei que vou ter que agüentar chorinho… Mas que dá dó, isso dá!
E você, me conta aí como faz com esse chorinho de dengo!
Beijão, Lika.

Obs: esse fato ocorreu há 15 dias, e depois de uma noite com 5 minutos de chorinho, já contornamos a situação e tudo voltou ao normal. Ufa!!!!

Nuvém de Tags
alegria amamentação Amizade amor avião babá Beleza birra blog Brasil brincadeiras Cabelo campanha cesárea chupeta cinema criança culpa cultura dica dicas emoção escola Família farra Filhos Filme fim de semana gravidez infância Irmãos Lazer Libido livros maquiagem música parto passeio pele programação saudade saúde solidariedade Sono teatro