Logo Blog Mamãe Vai Fazer

Mães como nós: mãe de blogueira mirim

20140108-123319.jpg

Quem vai falar com a gente hoje no quadro Mães Como Nós é Tina Batalha, mãe de 3, e entre estes 3, a modelete mirim linda, que ilumina nosso Instagram todos os dias, a Bia Dornbusch (sigam @bia_dornbusch). Ela contou um pouco como foi que tudo começou na vida de mãe de modelo, e como isso mudou sua rotina materna. Vamos conferir?

MVF: Como e quando você percebeu que Bia gostava de posar e que era fotogênica?

Quando fiquei grávida do primeiro filho, Bernardo, fiz o book de gestante e após o nascimento, levava ele mensalmente para tirar fotos em um estúdio fotográfico pois queria no final de 1 ano, ver a evolução do meu bebê. Com Bia não foi diferente. Então ela passou seu primeiro ano de vida em contato com “câmeras” e passou a achar natural isso. Quando engravidei do terceiro filho, Guilherme, ela participou de todas as fotos do caçula e a fotógrafa, Ana Oliveira, percebeu nessa evolução um dom especial dela… Nessas sessões, tirava 20 fotos do bebê e umas 30 de Bia. E ela sempre muito à vontade. Tempos depois, Ana me pediu para autorizá-la a usar algumas fotos de Bia em campanhas publicitarias e eu aceitei. Com isso ela passou a aparecer em revistas, outdoor, banners e etc.

MVF: Quando se deu conta da projeção dela nas redes sociais?

Nas redes sociais começou este ano, em abril. Eu tinha meu Instagram, onde publicava eventualmente algumas fotos da minha rotina familiar. Só que quando publicava fotos dela ou com ela, disparavam as curtidas! Assim, uma loja virtual me fez a proposta de fazer um Instagram para ela e assim me mandariam alguns looks para eu postar. Isso virou uma bola de neve e tomou uma proporção que eu não imaginava.

MVF: Você (e ela também) encara isso tudo como um trabalho, ou mais como curtição?

Tento sempre fazer o mais natural possível. A maioria dos looks eu tiro quando ela está indo para algum lugar, ou brincar na pracinha, algo tipo quando você arruma naturalmente uma criança, só que antes de sair ou durante as brincadeiras a mãe fala: amor, deixa mamãe tirar uma fotinha? Já aconteceu varias vezes dela não querer e a conversa acabar ali mesmo. Nunca forcei nenhuma foto, até porque não sairia natural.
Quanto aos eventos, procuro selecionar para ela estar em um ambiente que seja legal para ela. Por falar nisso, ela AMA, os “eventos”. Quando ela chega nos locais, todos a tratam de forma tão carinhosa e cheia de mimos que não tem como ela não amar! Ela não tem muita noção de como acontecem as coisas. Quando chega um pacote em casa, com mimos, ela diz: mamis, a dona da loja gostou da minha foto pois mandou mais, rsrsrs.

MVF: Como você divide seu tempo com seu trabalho, seus outros filhos (que são muito lindos também), sua vida em geral e a agenda de sua pequena modelo?

Sou medica e meus filhos são minha vida. Procuro trabalhar nos horários em que eles têm atividade e assim não sentem minha falta. Por exemplo, todas as manhãs, porque eles estão na escola e nas terças e quintas a tarde, porque eles estão nas atividades físicas (Ballet, natação, futebol…). Enfim, quando eles estão em casa, também estou, fazendo dever, brincando e principalmente educando! A “agenda” de Bia só fica cheia quando é o período de lançamento das coleções, mas eu tento sempre fazer uma compensação. Se hoje tem evento dela, amanhã tenho que arranjar um evento para os outros filhos, pois assim todos ficam felizes, rsrsrs.

MVF: Existe por parte de Bia a consciência de que ela já é famosa nas redes sociais? Existe algum tipo de assédio de amiguinhas, coleguinhas?

Ela esta começando agora a perceber que as fotinhas que ela tira, todo mundo tem acesso. Neste ultimo mês tem acontecido com freqüência dela ser reconhecida por pessoas em lojas, praia, enfim, lugares públicos. Normalmente falam: vc é Bia do Instagram? Eu sigo você, adoro suas fotos. Engraçado é que, quando falam, ela age com naturalidade, como se nada estivesse acontecendo.
Entre as amiguinhas, não teve nenhuma diferença. Criança não tem acesso às redes sociais e nem noção da proporção que existe.

MVF: Por onde passa a sua preocupação para que ela não deixe curtir a infância, e até que ponto você não incentiva a vaidade exacerbadamente, já que ela ainda é uma criança?

Bia foi a primeira filha, neta e sobrinha de ambos os lados. Então, desde na barriga, sempre ganhou muitos presentes. Quando nasceu com o cabelo super comprido já usava tiaras, fazia trancinhas e “arrumar” o cabelo era algo que fazia parte do cotidiano dela. E a babá amava! Quando entrou na escola, com 1 ano e 2 meses, comecei a me estressar, pois ela passou a querer passar gloss, pintar unha, essas coisas. A professora me orientou, na época, que tratasse isso de forma natural, que deixasse ela ter acesso, pois esse era o universo feminino, e o que eu devia fazer era não valorizar quando ela usasse. Quem me conhece sabe que eu sou super básica, tenho alergia à esmalte e no máximo só uso batom. Minhas amigas sempre falaram que ela veio no endereço errado, pois tudo o que ela mais ama é maquiagem, que por sinal é uma febre entre as coleguinhas de sala dela. Converso com as outras mães sobre isso e todas têm o mesmo “problema”.
A minha preocupação não é com a vaidade, e sim com o caráter dela, com a sua prioridade de vida. Então, estou sempre do lado, ensinando o que é certo, o que se deve valorizar. Ela, graças a Deus, é uma menina muito pé no chão. Tudo o que ganha das lojas, com o tempo fica pequeno e aproveito para levar os três para creches e fazerem pessoalmente as doações. Quando percebo algum comportamento que não gosto, falo logo: não adianta ter o rosto bonito e o coração feio. Jogo duro na educação. Meu cunhado diz que minha educação é alemã (minha avó era alemã), muito dura, mas fico feliz de, nas reuniões do colégio, receber elogios. É minha recompensa de me ver louca no dia a dia para dar conta de tudo.
Em relação a estimular a vaidade, por incrível que pareça, tento não estimular, aliás, ela tem estimulado a minha.
As pessoas vêem somente a foto estática, mas ela brinca igual a outras crianças. Tem bonecas, brinca de patins, patinete, bola, faz ballet, vai ao teatro, cinema, enfim, uma vida normal como qualquer criança de sua idade. No Instagram acabo não colocando fotos dela brincando porque não é isso que o público quer ver. Se publico uma foto do look, ela tem de 600 a 800 curtidas; se posto foto dela desenhando, dá 300 curtidas. Uma certa vez, coloquei uma foto dela em uma lancha, de óculos escuros, deu quase 1.000 curtidas. Com isso, o público fica achando que ela não brinca, mas ela brinca e brinca muito, rsrsrs.

MVF: A vida de modelete de Bia afeta a rotina familiar de vocês?

Normalmente não! Só quando tenho que levar a algum evento. Pois se não fosse por esse momento que ela está vivendo, eu não iria, provavelmente.

MVF: Tendo 3 crianças pequenas em casa, imagino que deve ser difícil não delegar um pouco… Que tipo de mãe é você é até que ponto você delega funções para babás ou ajudantes? E como você encara a relação babá/cuidadora com as crianças de hoje em dia, já que a maioria das mães que trabalham dependem de ajuda?

Só tenho uma babá para os três. Ela, na verdade, é mais do que uma simples babá. É uma pessoa que está comigo há 8 anos, que acompanhou minhas três gestações, eu acompanhei a gestação dela, literalmente, sou obstetra; fiz o parto e sou madrinha do seu filho. Resumindo, Adriana hoje é minha amiga e meio mãe dos meus meninos. Eles a respeitam muito e com certeza ela me ajuda na educação dos meninos. Mas como disse, tento estar com eles sempre que estão com tempo “livre”. E sou rigorosa quanto a isso.

MVF: Existe ou já existiu ciúme por parte dos irmãos em casa? Como você lida com esses sentimentos naturais da infância?

Neste final de ano percebi o mais velho, Bernardo, um pouco mais agressivo e isso só em casa, pois no colégio, somente elogios. Em um certo dia, quando chegávamos da pracinha, o porteiro entregou um pacote enorme para Bia e quando ela abriu, várias roupas de uma loja de Recife. Ele, automaticamente, mudou a fisionomia. Conversei com ele sobre este episódio e ele, chorando, me falou: é sempre tudo para Bia. Chorei junto com ele. Ao mesmo tempo, fiquei feliz ao perceber que meu filho tinha abertura e confiança para conversar comigo e também por ter como mudar a realidade. Eu, mesmo sem querer e perceber, estava passando mais tempo com Bia, e isso estava machucando ele. Conversei com a psicóloga do colégio, que me orientou a participar do futebol dele. Resumindo, toda terça e quinta no final da tarde tenho um compromisso de ficar na grade do campo, torcendo por ele e participando também das suas atividades externas. Depois disso, acabou a confusão em casa. Ser mãe é isso. Eu quis três filhos, todos programados, e tenho que participar ativamente da vida deles.

MVF: Bia sempre te acompanha em eventos do jet set Fashion de Salvador. Você sempre gostou de moda, ou isso foi ficando mais intenso com os convites recebidos por vocês?

Eu na verdade era totalmente out! Nunca tinha participado de nada do mundo da moda. Bia me modulou neste sentido. No inicio me sentia incomodada com as pessoas falando: você nem parece que é mãe dela; ela toda Fashion. Hoje isso não me incomoda mais. Mas mesmo assim estou gostando de conhecer esse outro universo. Ela curte e se minha filha está freqüentando um ambiente, é claro que eu estarei lá filtrando tudo que ela terá contato.

MVF: Com o que você sonha para o futuro de Bia?

Sonho em vê-lá feliz, não importa no que trabalhar, mesmo sendo médica, como ela diz que vai ser, que se eu pudesse escolher, não aconselharia a seguir minha profissão.
A educação básica, valores humanos e exemplo de ser uma boa cidadã ela tem. Espero que use isso por onde andar e que possa ser um ser humano que faça a diferença por onde passe, mas que acima de tudo, seja FELIZ!

MVF: Que dica você dá para outras mamães que têm crianças lindas e carismáticas dispostas a participar desses eventos como a sua Bia? Como conseguir esse tipo de projeção?

Eu aconselho a deixar que as coisas aconteçam da forma mais natural possível. Não antecipem nada e só invistam se sua criança tiver um dom e for feliz fazendo isso. Estejam sempre ao lado, “podando” o que pode aparecer de ruim. Não exponham um criança se ela não pode realmente e naturalmente a fazer o que se propõe. Ela pode se traumatizar muito se ela não corresponder ao que os pais “querem”.
Em relação a projeção, vários fatores influenciam, mas carisma é o essencial! Carisma e dom juntos, abrem as portas.”

20140108-123558.jpg

Não sei quanto a vocês que leram, mas eu, simplesmente, adorei o que li. Dá pra ver que, além de linda por fora, Bia Dornbusch vai ser uma pessoa centrada e realizada pela família equilibrada e, principalmente, pela mãe que está ali de mãos dadas, orientando, apoiando.

Parabéns Tina, pois ser mãe é um desafio diário, e você está tirando de letra!
Um beijão, Lika.
Muito obrigada pela atenção e carinho!

20140108-123725.jpg

Nuvém de Tags
alegria amamentação Amizade amor avião babá Beleza birra blog Brasil brincadeiras Cabelo campanha cesárea chupeta cinema criança culpa cultura dica dicas emoção escola Família farra Filhos Filme fim de semana gravidez infância Irmãos Lazer Libido livros maquiagem música parto passeio pele programação saudade saúde solidariedade Sono teatro