Logo Blog Mamãe Vai Fazer

O peso e a gravidez

20130415-154156.jpg

Gente, este é um tópico muito polêmico e de antemão digo que o que vou colocar aqui diz respeito apenas à minha experiência pessoal, tá?
Primeiramente, quero deixar claro que, como 98% das mães que eu conheço, depois de minha primeira filha tive que ralar muito pra TENTAR voltar ao meu corpitcho de antes. Confesso que, quando vi a Claudia Leitte recém parida em cima de um trio e de barriga de fora, tive vontade de esganar a nêga lôra!!!! Pô, Claudinha!!!! Assim os maridos vão achar que é fácil, nêga!!!! E vou dar a real pra vocês: não é…
Acho que posso dar 3 dicas básicas para que o caminho ao corpitcho a la Claudinha seja mais tranquilo:
1. Não engorde muito na gravidez. Esse eu consegui seguir direitinho. Na verdade, nunca me alimento tão bem quanto quando estou grávida. Lógico que as náuseas e falta de apetite dos primeiros meses ajudaram, mas passei a minha gravidez quase toda me alimentando de 3 em 3 horas (muitas frutas nos lanchinhos), e bebia MUITA água. Tive também a felicidade de enjoar de tudo que é muito gorduroso, e passei os 8 meses sem comer nenhum acarajé (quem é baiano sabe que isso é tempo pra caramba sem dendê no organismo! Axé!). Assim, quando Maria Luiza resolveu dar o ar de sua graça com 36 semanas (também escapei desse ultimo mês que é quando a maioria das mamães engordam mais), eu tinha engordado apenas 8 quilinhos.
2. Não caia na conversa que amamentar emagrece. Gente, eu comi essa pilha, e foi aí que comecei a descer a ladeira… Nos primeiros 15 dias de minha filha, eu já tinha perdido os 8kg da gestação, e estava super magrinha. Meu marido chegou a comentar que, enquanto algumas mulheres embarangavam, eu estava melhor depois do bebê do que antes. Imagine!!!! Mas nada dura pra sempre, e eu sou a típica pessoa que, se fica em casa, come muito! E junte a isso uma assistente do lar vinda direto do interior, e preparando um monte de comida gostosa que, segundo ela era bom pra dar bastante leite, tipo: bolo de milho, cuscuz de tapioca, mingaus, tortas…
Pra resumir a história, quando terminou os 6 meses de licença tive, que folgar todas as fardas da aeronáutica porque já tinha engordado os 8kg perdidos e mais 2.
Aí, gente, antes de dar a minha terceira dica, vou contar o desespero que eu estava e o que eu resolvi fazer:
Fui a um cirurgião plástico decidida a dar uma geral e ficar com o corpão de Claudinha (obcecada, nela, eu, né?). Só que, quando o médico desenhou a cirurgia, e falou o tempo de drenagem, sem carregar minha filhota… Fiquei BEM desanimada. Liguei pra minha mãe, xingando ela pela péssima genética que tinha me passado (tadinha, mãe sofre!) e ela me deu um conselho de mãe daqueles que não tenho palavras pra agradecer: me falou pra eu parar de reclamar, pra agradecer a pele ótima que ela tinha me passado geneticamente (não dá pra ter tudo, né gente?), e que era pra eu pegar esse dinheiro da cirurgia e investir em algo menos radical e mais saudável, que me desse resultados a longo prazo. Se eu não conseguisse, aí sim partiria pra “faca”. E foi o que eu fiz.
E aí vem a terceira dica:
3. Dê tempo a seu organismo e a sua rotina para exigir o corpo de antes da gravidez. De volta a rotina de trabalho, procurei moderar a alimentação, comendo mais coisas leves durante a semana e deixando as delícias para os fins de semana. Fiz Vigilantes do Peso, e apesar de não ter continuado com as sessões, procuro fazer até hoje mais ou menos o que aprendi lá. O dinheiro que eu iria gastar com a cirurgia, contratei um personal (querido Fabrício Costa), que fez um treino específico para os meus objetivos (além de, por ser um amigo querido, me incentivar na dieta e a não desistir). E aliado a tudo isso, mamãe me deu um pacote de tratamento estético na Clínica Hartmann
, com uma fisioterapeuta fofa, Laila, que me ajudou bastante a perder medidas e a melhorar o tônus da pele da barriga.
E com isso, gente, após 6 meses de treino, moderando a boca, e com o tratamento estético, voltei a caber nas fardas e até diminuí um número no manequim. Além disso, consegui aprender a correr (o que era algo inatingível pra mim antes dos treinos) e ganhei resistência física.
Vou pedir pra Fabrício e Laila escreverem um postzinho sobre as indicações deles para as mamães, e prometo passar pra vocês, ok?
Um beijos, Lika.

Nuvém de Tags
alegria amamentação Amizade amor avião babá Beleza birra blog Brasil brincadeiras Cabelo campanha cesárea chupeta cinema criança culpa cultura dica dicas emoção escola Família farra Filhos Filme fim de semana gravidez infância Irmãos Lazer Libido livros maquiagem música parto passeio pele programação saudade saúde solidariedade Sono teatro