Logo Blog Mamãe Vai Fazer

Quando a licença maternidade termina

20140114-110159.jpg

Hoje eu escrevo especialmente para duas Patrícias queridas, que estão voltando essa semana para a jornada massacrante de trabalho que nós, mamães, temos que voltar a cumprir depois de passarmos os 4 a 6 meses que ficamos por conta apenas do amor. E de um amor maior que toda a vida, amor que nunca sonhávamos vivenciar, e que nos preenche de tal forma que temos vontade de jogar tudo pro alto pra viver só desse amor imenso!

Meninas lindas e queridas, saibam que vocês não estão sós nesse sentimento, e que toda a angústia dos primeiros dias vai passar. Vocês vão se acostumar, e seus príncipes também. Na verdade, com o passar do tempo eles irão crescer e dizer com aqueles olhinhos lindos que você não devia ir, que quer ficar com vocês (estou nessa!), mas ainda assim vocês serão fortes para dizer que trabalhar é bom e é importante.

Escrevi a um tempo atrás, numa blogagem coletiva, como foi que encarei a volta ao trabalho e digo de todo coração que, apesar da angústia de deixar um filho em casa após tantos meses sabendo que estamos ali para qualquer eventualidade, pode ter sim algo de bom. No meu caso, senti mesmo falta da convivência com colegas e pacientes, acho que falta de sair de casa e respirar também outros ares. Por mais maravilhosa que a maternagem possa ser, ela também cansa e tem sim momentos de angústia.

Acho que o segredo para sair de forma mais tranquila é se certificar que o bebê será deixado com alguém de sua total confiança (e isso pode ser uma avô, babá, creche…). Não adianta sair com o corpo, e a cabeça ficar em casa, pois o trabalho não rende, e a hora não passa nunca. Tendo uma pessoa de confiança que possa te localizar em qualquer eventualidade ajuda muito.

Se a mãe ainda está amamentando, é interessante levar uma bombinha para tirar o leite e armazená-lo. Alguns locais liberam as mães para amamentação mesmo após os 7 meses, mas isso não é regra. Cabe uma negociação com o chefe. Como as cidades normalmente têm muito trânsito, acho que uma bombinha e um local apropriado para armazenamento já pode garantir para o bebê mais alguns meses de leitinho materno…

Outra dica é que, se você ainda não aprendeu a delegar funções, aprenda antes de chegar a hora do fim da licença. Toda ajuda é bem-vinda… Se o papai não troca a fralda do jeito que você quer, mas troca do jeito dele, deixa ele fazer. Aproveite o momento para dedicar esse tempo pra você também, quer para ler um livro, ver um filme, malhar… Se você já começou a dar um tempinho pra você antes da licença acabar, na hora do até logo vai doer menos.

Enfim, fácil não é para ninguém, minhas Patrícias lindas, mas vocês vão passar por isso com tranquilidade. Eu lembro que quando eu arrumei a primeira babá de Malu, não deixava ela fazer nada. Acho que tinha medo dela preferir a babá a mim. Fiquem tranquilas! Mães presentes, e quando digo isso, não falo sobre passar o dia todo com o filho, mas que, no tempo em que estejam com eles, que seja um tempo rico, lúdico, amoroso, nenhuma babá vai conseguir ocupar esse coração!

Um beijo e sejam abraçadas por mim na volta!
Beijo pra todos, Lika.

20140114-110232.jpg

Nuvém de Tags
alegria amamentação Amizade amor avião babá Beleza birra blog Brasil brincadeiras Cabelo campanha cesárea chupeta cinema criança culpa cultura dica dicas emoção escola Família farra Filhos Filme fim de semana gravidez infância Irmãos Lazer Libido livros maquiagem música parto passeio pele programação saudade saúde solidariedade Sono teatro