Logo Blog Mamãe Vai Fazer

Quedas e traumas nos dentes de leite: o que fazer?

Traumatismo Dentário na Infância

Ontem, em meio a alegria do jogo do Brasil, recebi a ligação de um colega de escola que eu não via há alguns anos: ele e sua esposa estavam desesperados porque o filho deles de 2 aninhos caiu com o rosto em uma quina, se machucando bastante nos lábios e até mesmo nos dentinhos da frente.

Os acidentes envolvendo a face e boca são sempre bem assustadores para quem assiste, principalmente pela quantidade de sangue envolvido, e por logo aparentar o rosto inchado e deformado.

Logo que os bebês dão seus primeiros passos, o coração dos pais já começam a sair pela boca, pois apesar de serem encarados como momentos de muita felicidade, afinal, é uma grande conquista na vida, são onde começam os riscos de acidentes.

Para uma criança, uma queda da própria altura de frente pode acarretar em traumatismos dentários, que devem ser acompanhados por um dentista para evitar problemas futuros.

Os estudos apontam que a idade crítica para os traumatismos dentários figuram dos 2-4 anos, subindo novamente dos 8-10, e numa prevalência 2 vezes maior entre os meninos. Os dentes da frente são os mais acometidos, e crianças com maloclusões (tipo dentucinhas) estão mais sujeitas.

A maioria das lesões nos dentinhos de leite são tratadas de maneira conservadora, isto é, com um acompanhamento periódico pelo cirurgião dentista. Luxações, sub-luxações e concussões, isto é, quando o dente sofre um trauma e até se desloca no osso, podendo haver sangue no espaço do ligamento periodontal (entre o dente e o osso) devem ser observadas, radiografadas, e caso necessário, indicado antibióticos e antitetânica, além de recomendação de dieta leve.

Em casos onde o dente intruiu (quer dizer, entrou dentro do alvéolo), o dentista vai avaliar a necessidade, ou não, de removê-lo, pois em alguns casos podem danificar o dente permanente.

Enzo caiu e teve a intrusão do incisivo superior

Deve-se também verificar se a lesão em lábios e língua necessita de sutura, o que é recomendado se não há contenção do sangramento.

Da mesma forma, se o traumatismo gerou muita mobilidade, também pode haver necessidade de extração dentária. Dentes avulsionados (que saem inteiros da boca) não devem ser reimplantados, como se faz com a dentição permanente.

Fraturas coronárias em dentes de leite devem ser tratadas com discos de lixa, para retificar o esmalte cortante, ou, quando necessário, recobrimento com cimentos apropriados.

Assim, se seu bebê/criança caiu e você notar que houve dano na dentição, procure acalmá-lo (além de se manter calmo). Se há sangue, não se assuste: a boca é muito vascularizada e qualquer corte sangra muito mesmo. Procure colocar gelo no local para diminuir o sangramento e entre em contato com o seu dentista de confiança.

Não deixe de visitar o dentista, pois o acompanhamento seqüencial do dentinho traumatizado é muito importante para o prognóstico de toda a dentição, inclusive a permanente.

Numa próxima oportunidade vamos conversar sobre os traumatismos em dentes permanentes, ok?

Beijocas, Lika.

Nuvém de Tags
alegria amamentação Amizade amor avião babá Beleza birra blog Brasil brincadeiras Cabelo campanha cesárea chupeta cinema criança culpa cultura dica dicas emoção escola Família farra Filhos Filme fim de semana gravidez infância Irmãos Lazer Libido livros maquiagem música parto passeio pele programação saudade saúde solidariedade Sono teatro