Logo Blog Mamãe Vai Fazer

Você sabe o que é Pediculose?

Sabe aqueles perrengues da infância que todo mundo já passou e que você já fica imaginando quando chegar a vez dos nossos filhos? Pois é… Após 6 anos e meio convivendo com uma criança e passar incólume à pediculose, enfim, este mês, na cabecinha da minha caçula, encontramos os famigerados PIOLHOS.  🙁

Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia a pediculose é uma doença parasitária causada pelos piolhos, que se alojam no couro cabeludo onde sugam o sangue, vivem e se reproduzem na superfície da pele e dos pelos. Pode ser confirmada pela presença de lêndeas ou piolhos no couro cabeludo. As lêndeas são mais comuns e fáceis de achar e representam os ovos dos piolhos – aqueles pontinhos brancos que ficam agarrados aos fios dos cabelos. Já o piolho é o parasita, correspondendo aos bichinhos pretos que ficam caminhando pelo couro cabeludo, porém são mais difíceis de serem detectados.

A transmissão da infestação se dá por meio de contato direto, destacando-se as situações de aglomeração infantil, como escolas e creches.

Por aqui começamos a ver aquela cabecinha coçando o tempo todo, o que deixou a família de cabelo em pé, e não deu outra: cabecinha infestada de piolhos, nuca e orelhinhas já mordidas com aquelas marquinhas parecendo urticária.

Confesso que na hora que soube, gelei, minha cabeça começou a coçar!!! Imediatamente fui a farmácia, comprei um produto indicado pela farmacêutica (no caso foi o Kwell, emulsão tópica), cheguei do trabalho 18:30h, lavei os cabelos de nós 3 (sim, porque eu também entrei no bolo, já que tenho cabelo comprido e compartilho escova com as meninas) e fiz todo o processo indicado na bula do produto (passar a loção no couro e cabelos, deixar agir 10 minutos, passar o pente fino que vem na caixinha em todo o cabelo e em seguida enxaguar).

No dia seguinte, mandei um aviso para a escola, pois o problema é a gente tratar os filhos em casa e a criança se reinfestar por conta do convívio com os outros coleguinhas. Também alertei às mães via grupo de WhatsApp.

À tarde, sentei com as duas e passei uma solução de vinagre diluído em água nas mechas dos cabelos (com o auxilio de uma gaze), também deixei agir 10 minutos. Depois passei um creme de pentear e fomos para a sessão de pente fino de novo. Dessa vez foi para tirar as lêndeas, que segundo o dermatologistas, grudam nos cabelos, e o vinagre ajuda a dissolver essa cola e na eliminação pelo pente fino.

De lá pra cá (isso tem 7 dias) tenho passado o pente fino diariamente. Desde o segundo dia não temos mais piolhos graças a Deus, mas o perigo são as malditas lêndeas! E essas são mesmo difíceis de sair, vejo que o cabelo de Belinha é tão fino que tenho que puxar com a unha, porque não vem com o pente fino… Uma aflição!!!

As recomendações da Sociedade Brasileira de Dermatologia pra o tratamento são:

  1. Roupas e utensílios pessoais de pano usados nas últimas 48 horas devem ser lavados com água em temperatura acima de 50 graus Celsius e/ou secados em máquinas de secar roupas nas mais altas configurações de calor
  2. Pediculicidas tópicos constituem o método mais efetivo, sendo a permetrina a mais usada
  3. Pentear o cabelo molhado com pente fino
  4. Medicação oral (ivermectina) (Mas essa só para crianças acima de 5 anos).

Quanto à prevenção, a recomendação é evitar o compartilhamento de roupas, toalhas, acessórios de cabelo e outros objetos de uso pessoal, bem como evitar o contato direto cabeça com cabeça ou cabelo com cabelo de pacientes infestados. Limpeza exagerada e uso de inseticidas no ambiente domiciliar são desnecessários. Manter escovas de cabelos submersas em água por 10 minutos é uma medida suficiente para matar o piolho presente nos utensílios contaminados.

Por aqui seguimos na procura diaria contra esses seres malignos, rezando para não passar pelo que as amigas mais próximas ja me contaram, que foi um vai e volta até debelar completamente. Oremos!

Beijocas, Lika!

 

 

 

Nuvém de Tags
alegria amamentação Amizade amor avião babá Beleza birra blog Brasil brincadeiras Cabelo campanha cesárea chupeta cinema criança culpa cultura dica dicas emoção escola Família farra Filhos Filme fim de semana gravidez infância Irmãos Lazer Libido livros maquiagem música parto passeio pele programação saudade saúde solidariedade Sono teatro