Logo Blog Mamãe Vai Fazer

Porque #EleNão

 

Motivada pela querida autora Emilia Nunes, que se manifestou em seu Instagram e teve uma recepção respeitosa de suas seguidoras, quero aqui desabafar com vocês que me seguem e, nessa comunicação ampla e irrestrita que é um blog, dividir com vocês (e quem sabe até promover uma reflexão saudável) sobre os motivos que me levaram a aderir a este movimento feminino tão bonito e louvável.

É difícil falar sobre política num perfil público. Meus amigos pessoais já sabem ha muito tempo de minhas convicções, mas se abrir para pessoas que você não conhece pode parecer muita exposição, e o MEDO DE PERDER SEGUIDORES, o terror das “bloguêra” também permeia esses ambientes e entendo quem prefere não se manifestar.

A cantora ANITA foi recentemente julgada por seguidores LGBT+ por não manifestar-se contra ou a favor ao movimento, e achei isso uma coisa tão violenta e desnecessária para se impor a um artista, que não tem obrigação de se posicionar contra nada que não queira, independente do que você considere certo ou errado.

Tenho amigos que ODEIAM o PT e amam Chico Buarque (como não amar?) e eu mesma não suporto o candidato do PSL mas adoro o Ultraje A Rigor… Enfim, essa polarização não cria nada de construtivo, e pode parecer uma afirmação contraditória quando estou aqui sentada escrevendo sobre não apoiar um candidato em qualquer hipótese.

Mas minhas motivações vieram ao longo de tempos acompanhando a pregação desse senhor, desde bem antes dele ganhar essa força estranha nas redes sociais que podem levá-lo a governar o nosso país.

E sei que as pessoas que o apoiam o fazem legitimamente e muitas não pensam como ele, afinal tenho primos e primas queridas, amigos próximos, a família do meu marido, pessoas queridíssimas que estão apoiando a candidatura dele por acreditar que só um rompimento definitivo com tudo o que representa a atual politica vigente fará diferença daqui pra frente.

Também tenho conhecidos (esses mais ingênuos: aqueles amigos que mal leram os livros técnicos das faculdades, que dirá algo mais denso ou que levasse a um pensamento mais filosófico a respeito da vida e pessoas, no máximo os blockbusters de auto-ajuda elencados pela Veja) que consideram o tal realmente um MITO, um herói nacional que só precisa da capa para nos salvar da mulambada petralha que quer fazer do Brasil uma Venezuela. Esses me chamam de Petista, e compartilham fake news numa velocidade mais rápida do que uma simples checagem  de google… Desses têm sido mais difícil manter o amor…

Mas voltando aos meus motivos, e vou aqui elencar apenas os que vi no plano de governo do candidato que me empurraram diametralmente ao oposto a ele (e se você concorda, está em seu direito de pensar assim), e não aos muitos discursos ofensivos que saíram de sua boca, e mais recentemente, do seu vice. E como esse blog versa sobre maternidade, vou me ater aos aspectos do futuro de nossos filhos.

Primeiramente, a pauta viva e necessária da discussão sobre SEXUALIDADE nas escolas. Perceba que sexualidade não é sexo. Sexualidade aborda o nosso jeito de ser no mundo como homem ou mulher. O tema consta nos parâmetros curriculares de TODOS os países desenvolvidos do mundo, e no Brasil está determinado para uma abordagem partir dos 6 anos de idade. As crianças vão conhecer o próprio corpo e suas diferenças e esses conhecimentos vão evoluindo a partir do desenvolvimento dos pequenos, para mais tarde falar sobre reprodução humana, menstruação, e ainda sobre prevenção de gravidez e DSTs. Essa abordagem é feita de forma gradativa. E se você considera que esse não é o papel da escola, eu considero que é também, pois prefiro ter a certeza que os coleguinhas de minhas filhas aprenderão a respeitá-las ainda que em suas casas elas sejam educadas por homens ou mulheres machistas e homofóbicos. E esse é um pensamento muito particular… E o plano de governo do PSL prega o fim da “doutrinação e sexualização precoce nas escolas” mostrando, citando “kit gay” como livros adotados pelo MEC para fazer gays nas escolas…

Ainda sobre educação das crianças, o programa do PSL cita “expurgar Paulo Freire das escolas brasileiras”. Desculpa todo mundo, mas Paulo Freire Foi o brasileiro mais homenageado da história: ganhou 29 títulos de Doutor Honoris Causa de universidades da Europa e América; e recebeu diversos galardões como o prêmio da UNESCO de Educação para a Paz em 1986. Ele foge da educação meramente técnica e incentiva uma visão abrangente do mundo do educando, fazendo-o pensar critica e politicamente. O vice do PSL já declarou que é favorável de eliminar Filosofia dos currículos escolares, e só isso já me bastaria para correr desse programa, então sigamos…

O programa prega a redução da maioridade penal. Sou contra veementemente, pois a experiência que se tem é que a criminalidade vai buscar em idades cada vez mais jovens o apoio ao crime. Prega rever o estatuto do desarmamento e permitir o porte de arma para todo “cidadão de bem” (alguém me diz quem são essas pessoas pois tem sido difícil pra mim estabelecer um nicho). Eu não considero que ter um monte de gente andando armado pelas cidades vai deixar o ambiente mais seguro para as minhas filhas. Acho, sinceramente, que o risco de crimes passionais e tiros acidentais matando inocentes vai me deixar mais procurada do que hoje. E isso é uma opnião minha, sem embasamento estatístico, ok?

O programa prega a Constituição como nossa Lei Máxima, que deve ser seguida e respeitada, mas o vice candidato disse em entrevista que ela pode ser mudada sem uma assembleia constituinte. Quem leu um pouco de historia chega arrepia ao ler uma informação dessas, mas sigamos.

Por fim, o candidato diz combater veementemente a corrupção e ser ficha limpa (como se isso já não fosse obrigação de todos, mas realmente tá difícil separar o joio do trigo), mas aqui deixo uma reflexão: a criatura passou 27 anos no legislativo vendo toda a sorte de falcatruas e NUNCA fez nenhuma denuncia formal a nenhuma comissão sequer. Ele recebeu dinheiro da JBS e quando foi pego devolveu AO PARTIDO, empregou conhecidos em cargos comissionados (vide Val do Açaí), recebeu auxilio moradia tendo imóvel em Brasilia (segundo ele, usava o recurso para “comer gente”), então ele não é lá tão diferente dos outros 12 candidatos a presidência da república…

Por isso, e algumas coisitas mais, junto com mais de 2 milhões de mulheres, precisava gritar #EleNão pra todas vocês, não como digital influencer, mas como uma mulher que quer muito que esse senhor não venha a nos governar…

 

 

 

Nuvém de Tags
alegria amamentação Amizade amor avião babá Beleza birra blog Brasil brincadeiras Cabelo campanha cesárea chupeta cinema criança culpa cultura dica dicas emoção escola Família farra Filhos Filme fim de semana gravidez infância Irmãos Lazer Libido livros maquiagem música parto passeio pele programação saudade saúde solidariedade Sono teatro